Tire suas dúvidas com Dr. Joaquim Figueiredo

Por juliana
16 jun 2008

A partir de hoje vamos ter, semanalmente, a presença do médico cirurgião plástico Dr. Joaquim Figueiredo. Ele vai tirar as suas principais dúvidas sobre os mais diversos procedimentos estéticos. Além de dúvidas ele vai nos deixar por dentro do que há de novidades na área da cirurgia plástica. Hoje ele vai tratar sobre um procedimento bastante conhecido, mas que ainda gera muitos questionamentos: a Lipoaspiração. Se você quiser perguntar algo para o Dr. Joaquim Figueiredo escreve para redacao@necessaire.com.br .

Lipoaspiração

A lipoaspiração foi criada na década de 80 com a finalidade de retirar tecido adiposo acumulado em pequenas áreas corporais. A lipoescultura é um avanço da técnica que nos permite retirar gordura de onde ela é indesejada e utilizá-la como preenchimento em depressões causadas por celulite ou até traumas.

A técnica

A cirurgia apesar de bastante popularizada deve ser realizada por profissionais habilitados e experientes, podendo trazer graves seqüelas quando seus princípios básicos não são obedecidos.
A cirurgia é realizada com anestesia local ou geral, dependendo da extensão do procedimento. São utilizadas pequenas incisões por onde são introduzidas as cânulas. Quando o procedimento é isolado, ou seja, sem associação com outras cirurgias, a recuperação é rápida e a volta às atividades normais se dá em poucos dias.

A indicação

Como em toda cirurgia plástica, a indicação precisa é fundamental. A lipoaspiração não é um método de emagrecimento, mas sim, uma forma de retirarmos de algumas áreas do corpo o acúmulo indesejável de gordura.

O procedimento

O procedimento deve ser feito em ambiente hospitalar. O paciente deve ter sido submetido a exames pré-operatórios comuns a procedimentos cirúrgicos de médio e grande porte.

A quantidade de gordura retirada não deve exceder 7% do peso corporal também não exceder 40% da área corporal. Esses limites foram definidos em resolução do CFM (resolução 1711, de 10 de dezembro de 2003).

O pós-operatório

Diferentemente do que é comumente divulgado a lipoaspiração não é seguida de dor espontânea. As áreas aspiradas ficam, entretanto, doloridas ao toque, dor que vai diminuindo progressivamente. Nessa fase, a ajuda do fisioterapeuta, com tratamento específico como drenagem linfática, melhora o edema e diminui a sensibilidade local.

Dr. Joaquim Figueiredo é cirurgião plástico, faz parte da equipe do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Agamenon Magalhães, é Membro Especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Diretor Médico do Hospital de plástica de Olinda

0 COMENTÁRIOS
COMPARTILHE
TAGS

Seu nome

Seu e-mail

Sua mensagem

Powered by WP Bannerize

Powered by WP Bannerize